Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Casa d'avó Madalena

Casa de uma matrafona que mora na Aldêa, passa o dia assentada no pial a dizer patochadas

Casa de uma matrafona que mora na Aldêa, passa o dia assentada no pial a dizer patochadas

Casa d'avó Madalena

15
Mai13

Dia Internacional da Familia


Avó Madalena

 

Hoje comemora-se o Dia Internacional da Família. E eu deixei passar a data sem uma anotação especial... Jantou se mais cedo para o marido ir ver o jogo de futebol, o M. jantou com ele e eu deixei me ficar porque queria fazer ginástica.

Tenho de compensar a minha família, não pelo não jantar de hoje, mas pelo meu egoísmo, pela minha frieza e ausência. Durante o dia vou engolindo uns quantos sapos e depois acabo por explodir em casa.... Tenho tentado mudar isso, mas infelizmente os dias vão passando sem eu consegui grandes mudanças e pela noite, quando todos estão deitados aparecer o arrependimento.

Ando a livrar me de alguma tralha emocional... sou fruto de uma família descompensada e sempre prometi a mim mesma que comigo seria diferente, mas infelizmente acabo por cometer alguns erros que cometeram comigo... deveria pensar mais no que senti naquela altura e esforçar me por não deixar o M ter as mesmas dividas que eu tive: a insegurança, a duvida, a carência são fardos demasiados pesados na vida de uma criança. Um fardo que nunca passa e que no futuro acabará por explodir na minha cara... 

Não grito, não berro, não bato, mas também não convivo. Sinto que o que me prende é não saber ser criança, não conseguir relaxar e amar sem medo. 

O medo de amar, de tocar, de mimar... depois o irracional é que com as pessoas vizinhas, as das lides profissionais e sociais têm uma ideia de mim como doce, simpática, sociável, agradável.... em casa cai a mascara e fica o oposto, o feio....

Este é o meu podre, o meu pecado, o meu segredo... esta é a magoa que tento apaziguar... um coração de pedra que se fechou e culpabilizou um inocente... uso um trauma como desculpa para não viver....

Amanha é o meu dia internacional da familia, amanha vou amar sem medo, vou fechar a boca que vez que for para reclamar. 

Prometo te, meu amor, que ainda te vou fazer feliz, ainda vamos caminhar de mão dada como se nãp houvesse amanhã. Prometo que te amarei sempre e acima de tudo, que sem ti nada faz sentido, porque no fundo é o que o meu coração sente, mas a boca não o diz.... 

 

 

 

 

 

 

Follow my blog with Bloglovin Top blogs de receitas

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D