Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Casa d'avó Madalena

Casa de uma matrafona que mora na Aldêa, passa o dia assentada no pial a dizer patochadas

Casa de uma matrafona que mora na Aldêa, passa o dia assentada no pial a dizer patochadas

Casa d'avó Madalena

16
Fev14

...


Avó Madalena



Durante anos 2 gerações de mulheres da minha família guardaram um segredo... um segredo tenebroso, doente e demasiado negro para ser revelado em voz alta. As mulheres que o partilham não o comentam entre elas, tentando enterra-lo nas catacumbas mais fundas da memória. 

Hoje uma delas não suportando mais a pressão e o peso do segredo, deixou cair as amarras e contou-mo, achando que estaria a aliviar a sua alma e que falando com alguém o peso seria menor... 

O meu mundo caiu... é suposto ficar calada, impávida e serena como se não tivesse aberto um rasgo no meu coração e na minha alma, hoje parti por dentro e não sei se terei forças para ficar no silencio. Não o entendo... não o suporto...

Sei que nunca mais serei a Ana de antes o desabafo, nunca mais serei a mesma, ... o meu mundo parou ali e eu só queria ter poderes para voltar o tempo 30 segundos atrás e não atender o telemóvel... fingir que  não ouvi o chorar desesperado do outro lado da linha...

O segredo agora inquieta 3 gerações de mulheres ... nada será igual... estamos todas presas neste silêncio, nesta solidão em que nem sequer podemos procurar apoio no colo umas das outras.

Serei capaz de perpetuar este segredo, com o qual não concordo, que nunca deveria ter existido... alguém achou por bem silenciar e embora eu até posso entender nunca irei concordar, nunca irei perdoar, nunca irei esquecer.

Não me cabe a mim quebrar estas amarras... mas o peso deste segredo foi um golpe demasiado pesado. Nunca me deveriam ter envolvido, nunca deveriam ter desabafado comigo e agora não posso voltar atrás, não posso não saber e tal como elas também eu serei atormentada por um silêncio e uma dor que dilacera o meu coração.

Só posso pedir perdão, sabendo que nunca serei perdoada, mas na verdade este silêncio não merece perdão, torna-me tão culpada e vitima dele como elas o têm sido ao longo de todos estes anos.

Que Deus e os Homens me perdoem, porque eu nunca serei capaz de o fazer
Follow my blog with Bloglovin Top blogs de receitas

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D