Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Casa d'avó Madalena

Casa de uma matrafona que mora na Aldêa, passa o dia assentada no pial a dizer patochadas

Casa d'avó Madalena

Casa de uma matrafona que mora na Aldêa, passa o dia assentada no pial a dizer patochadas

Felicidade

Avó Madalena, 28.02.13


Tenho 33 anos e  não sou uma pessoa feliz. Aliás são bem distantes as ultimas memorias da minha felicidade.

Sinto que me desperdicei  e que algures no meu percurso fiz as escolhas erradas que me levaram para o caminho oposto ao da felicidade. Deixei que a minha felicidade ficasse na mão de outras pessoas, aprisionei me dentro desta carcaça.

Evito comparar-me com os outros mas tem dias em que é impossivel e fica na minha mente gravada a vergonha e a pena que chego a ter de mim mesma por ter optado não ser feliz.

E todos os dias murmuro que vou tentar, que vou deixar de cuscar as minhas vizinhas e ser feliz mas sento-me na janela e veja a minha vida a passar e eu sem participar nela..

Tento ser feliz, procurar a felicidade nas pequenas coisas, mas tem dias em que me sabe a pouco quando sei perfeitamente que tenho tanto.

Ser feliz é um opção e algures no meu caminho optei por não o ser... a questão agora é se ainda vou a tempo de voltar a sorrir, de me dedicar a quem mereçe, de fazer sorrir os outros. Pergunto-me se ainda vou a tempo de produzir memorias felizes para o M. e para mim...

Tem dias em que deveria dar uma sova a mim mesma - hoje é o dia - tem dias em que me sinto feliz mas depois fico com remorsos de o ter sido... definitivamente não sou mentalmente sã...

Se minha felicidade é uma prioridade porque raio não me esbofeteio, choro, lavo a cara e recomeço?? De que tenho medo?? O que me prende?

Eu... apenas eu...