Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Casa d'avó Madalena

Casa de uma matrafona que mora na Aldêa, passa o dia assentada no pial a dizer patochadas

Casa d'avó Madalena

Casa de uma matrafona que mora na Aldêa, passa o dia assentada no pial a dizer patochadas

O lado negro da força

Avó Madalena, 10.04.13

Desde há muito tempo que estou no lado negro da força!! Tento passar para o lado da luz, mas a escuridão dentro de mim continua com mais força. Tem dias em que se vê uma frecha a entrar devagarinho, calmamente.... aconchego para a sentir com mais força, mas o medo impele-me de a aceitar....

Não me lembro de como era antes da escuridão, não tenho muitas memorias a que me agarrar, mas o meu passado, a minha história e carências não podem ser usadas para sempre como desculpa para o mau feitio, para a escuridão, para este sofrimento diário que uso como se fosse maquilhagem. 

Preciso de crescer por dentro, usar o lado negro da força para me fortalecer, para erguer o queixo entender de uma vez por todas que sou realmente uma sobrevivente, uma lutadora. 

Se morresse agora a minha vida resumia-se a sentimentos, atitudes e experiencias adiadas. Tenho dias de anti procrastinação para as tarefas de casa, tenho planificadas as contas, os menus, as tarefas, mas procrastino no mais importante: na vivencia familiar, nos sentimentos. 

Uma espécie de iceberg que deixou morrer a criança dentro de si, que não demonstra afecto a seres humanos, que tem medo do calor humano.

O lado negro da força mora dentro do meu coração...

Ontem na "conversa" com uma vizinhas numa janela ali ao lado, falava-se de felicidade, valores....eu nem 5 coisas boas ou positivas conseguir definir a minha pessoa. O que sou e o que me define enquanto ser humano são características "trabalhistas". O diário de gratidão está praticamente vazio... passei mesmo para o lado negro da força e preciso ajuda para me reencontrar...

1 comentário

Comentar post