Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Casa d'avó Madalena

Casa de uma matrafona que mora na Aldêa, passa o dia assentada no pial a dizer patochadas

Casa d'avó Madalena

Casa de uma matrafona que mora na Aldêa, passa o dia assentada no pial a dizer patochadas

A coragem de reconheçer

Avó Madalena, 23.10.13

Hoje foi um novo dia.... o dia de reconhecer que o tratamento não está a funcionar, que preciso de ajuda, que preciso saber o que quero e como quero.

Está difícil e é doloroso reconhecer as falhas, os erros.... cada vez mais só num mundo tão grande....e ao mesmo tempo minúsculo...

Dentro de mim brotam sentimentos que me desgastam e me acobardam.... não me reconheço e chego mesmo a ter pena de mim... como pode um ser humano desistir assim da vida? Como pode um corpo suportar tanta dor apenas para libertar a dor de alma. Como pode uma pessoa ter tanta coisa boa e bonita na vida e não conseguir agarrar-se a isso para se fortalecer, para avançar. Não dar valor ao que tem de melhor ....Como posso achar o tanto que tenho tão pouco nesta altura...

Sinto me só, frágil e revoltada por sentir este furação de raiva dentro do peito.

Preciso de mim, mais do que nunca

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.