Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Casa d'avó Madalena

Casa de uma matrafona que mora na Aldêa, passa o dia assentada no pial a dizer patochadas

Casa d'avó Madalena

Casa de uma matrafona que mora na Aldêa, passa o dia assentada no pial a dizer patochadas

A arte de não engomar

Avó Madalena, 22.05.15

7.jpg

 Na semana passada, numa conversa com a psicóloga queixa-me por um lado da falta de tempo de repouso e do outro praguejava contra as horas perdidas a engomar.... quando a psicóloga me pergunta, do alto da sua certeza, se tinha pouco tempo porque perdia tanto a engomar??? Com toda a razão: em minha casa engoma-se toda a roupa, lençóis, tolhas de banho, panos de cozinha... tudinho.

Ela ensinou-me uma técnica: apanhar a roupa, esticar bem com a mão e dobrar. Não acreditei que fosse assim tão fácil, a minha roupa sai uma lástima da máquina, por muito que sacuda ninguém me fará vesti-la assim.

Curiosamente esta semana, voltei a falar da roupa e uma amiga passou-se comigo, diz que só passa peças de linho. Coloca pouca roupa na máquina, com poucas rotações, entende logo depois do programa terminar, sacode (alguma coloca em cruzetas) e seca. depois é apanhar e dobrar.

Deve ser este o segredo.... eu enfio tudo na máquina até não caber mais uma meia, por vezes fica dentro da máquina todo o dia (até que chegue do trabalho), sacudo, estendo, volta e meia esturrica-se ao sol, apanho e finjo que dobro e passo uns dias engomo....

Chapadas em mim!!! Ontem mudei as rotações, estendi quase de imediato, sacudi como se não houvesse amanha. Logo vejo o resultado

2 comentários

Comentar post