Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Casa d'avó Madalena

Casa de uma matrafona que mora na Aldêa, passa o dia assentada no pial a dizer patochadas

Casa d'avó Madalena

Casa de uma matrafona que mora na Aldêa, passa o dia assentada no pial a dizer patochadas

Balanço Outubro

Avó Madalena, 02.11.15

Outubro foi um mês difícil...

images (1).jpg

 As rotinas domésticas ainda não estão em funcionamento, continuamos em estado sitio, à espera de um ponto final que teima em ser reticencias e adiado só para me provocar azia e pressão psicológica. Não tem sido fácil suportar a vida ex familiar e isso manifesta-se em todo o resto. Sinto que vou desabar a qualquer altura, mas sei que isso não pode acontecer porque nem eu nem o M merecemos isso.

Terei força suficiente para continuar esta luta desnecessária? Terei energia suficiente para acreditar que isto tem um fim? Luto para que sim, para que este pesadelo tenho um fim próximo.

Tenho a vida em suspenso e nas mãos de quem a manipulou e destruiu e isso não é justo. Mas de momento é com isso que tenho de lidar, por isso vou tentar no próximo mês lidar com a situação de forma mais civilizada. Sinto que esta é uma missão que tenho de levar até ao fim por isso as forças virão no momento em que tiverem de aparecer.

Economicamente as contas correram dentro da normalidade: excluindo o facto da carrinha estar na oficina. O sistema dos envelopes correu bem e as contas de supermercado baixaram bastante (já as do take away... subiram) - algo a melhorar em Novembro.

Consegui fazer algumas caminhadas e ler 5 livros. 

Para Novembro temos planeado continuar as caminhadas, as leituras, o crochet, retomar a tese (que entretanto decidi reformular 80% do que já estava).

Vistas as coisas o mês nem foi assim uma desgraça total, apenas a situação do divórcio me atrapalha a vida toda e suga a energia e o bem estar,  o resto vai-se levando com calma. 

1 comentário

Comentar post