Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Casa d'avó Madalena

Casa de uma matrafona que mora na Aldêa, passa o dia assentada no pial a dizer patochadas

Casa d'avó Madalena

Casa de uma matrafona que mora na Aldêa, passa o dia assentada no pial a dizer patochadas

Destralhar

Avó Madalena, 17.08.15

Ando a destralhar a casa e embora já tenha descartado um sem número de itens na verdade ainda não senti falta de nada mas também não vi ainda a casa mais vazia... parece que não se nota nada... 

Das 2 1 ou tenho demasiada tralha ou não estou a fazer um bom trabalho.

Ainda não estou a seguir a técnicaKondomarie, estou numa fase mais pessoal de retirar as coisas que estão visivelmente

15228476_ig4so.jpeg

 mal: cadeiras de rua que já ninguém usa porque estão velhas, mas moravam num canto do pátio, tachos e panelas que já não usava por estarem demasiado velhos (e inutilizados), roupas que vão aparecendo com nódoas quando as tento engomar...

Farto-me de deitar coisas para fora de casa e embora me sinta feliz cada vez que vou ao caixote do lixo, não consigo ainda rever a ausência das mesmas em casa.

Apercebi-me, nas limpezas e organizações a apartamento de férias que vou fazendo que arrumo, limpo e organizo casas de férias com o triplo do tamanho da minha casa em muito menos tempo e isso porque essa casas só têm o mínimo essencial, tal como a minha também deveria ter.

Não vou desistir nem parar enquanto não tiver destralhado a casa, os armários e a vida, porque destralhar liberta-me e dá-me uma força e uma sensação de controlo que mais nada dá.

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.