Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Casa d'avó Madalena

Casa de uma matrafona que mora na Aldêa, passa o dia assentada no pial a dizer patochadas

Casa d'avó Madalena

Casa de uma matrafona que mora na Aldêa, passa o dia assentada no pial a dizer patochadas

E quando um vírus te obriga a abrandar?

Avó Madalena, 26.03.20

O mundo lá fora está de pantanas... dentro de casa reina a calmaria... demasiado calmo, demasiado anormal...  Lido com esta quarentena tal como todas as vizinhas... tento transparecer a calma e quilibrada, manter a rotina possivel, só para não assustar  o herdeiro...

Como se explica a uma criança ou a um adolescente ou até mesmo a um idoso teimoso que lá fora está um inimigo invisível e mortal? Como se lida com a angustia e a insegurança de ter de ir comprar comida e não saber se desinfectei bem as mãos, a roupa ou as compras? Como permanecer calma quando o teu filho está fechado em casa, supostamente protegido e tu de 8 em 8 dias tens de ir buscar fruta e legumes? 

Os pensamentos são os mesmos: desfeiteei-me bem? Comprei tudo o que precisava? A conta da água e luz vai subir? Estarão os meus pais a cumprir o isolamento social ou são daqueles "idosos" que acham que nada lhas acontece? Será este sacrifício em vão?

Tento não pensei, fingir que tudo está bem e vai ficar bem... aqu, dentro desta bolha... mas, e lá fora? 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.