Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Casa d'avó Madalena

Casa de uma matrafona que mora na Aldêa, passa o dia assentada no pial a dizer patochadas

Casa de uma matrafona que mora na Aldêa, passa o dia assentada no pial a dizer patochadas

Casa d'avó Madalena

04
Jun14

Junho


Avó Madalena

Plano mensal:
- Perder 5Kg (pequenos almoços de cereais Kellogs K, leite magro, pão integral, lanche e meio da manhã de iogurte magro, chá e bolachas de aveia, almoço sopa, lanche da tarde com iogurte magro, chá, fruta. O jantar será para eliminar futuramente, mas para já mantemos a nossa alimentação vegetariana, a ceia será um chá), mínimo 1,5L água por dia, 2 horas de caminhada por semana
- Levantar-me na pior das hipoteses até ás 07h30m
- Retomar as rotinas da manhã e da noite
- Declutter do atelier (implica colocação de material de artesanato há venda)
- Ler minimo 3 livros 
- Fazer biscornus
- Desafio berra-me baixo
- Desafio Fazer Acontecer
- Desafio da gratidão
- Promoção do Páginas Tantas
- Fazer um workshop de auto maquilhagem - não sei como me tratar, nem o meu tipo de pele, por isso vou fazer um workshop que me ensine a cuidar de mim, afinal se eu não gostar de mim, quem gostará?
- Seminário: "Educar para a Felicidade"
- Tricotar em público (loulé "me aguarde" surpresa a caminho")
Pois é, este mês centra-se muito em mim e é de mim que quero cuidar.
03
Abr13

Balanço "Berra-me baixo"


Avó Madalena

O balanço do mês de Março é negativo. Não que eu tenha berrado ou gritado mas porque sou fria, distante e passo pouco tempo de qualidade com o M. Infelizmente continuo a fazer as minhas coisas (domésticas e lúdicas) deixando o um pouco sozinho nas coisas dele. 
Falo que sou isto e sou aqui, que desperdiço tempo, que amanha vai ser melhor, mas infelizmente não mudo. 
Talvez agora começa a ver as coisas com outros coisas, agora que passei pelo sofrimento de momentaneamente o perder consiga quebrar esta parede de gelo que está dentro de mim.
Sinto me pressa a mim, sou incapaz de ser espontânea, de brincar ao nível dele... faço tudo o que sempre disse que não seria como mãe.
Berrei pouco porque tenho um filho fantástico, sossegado, bom aluno, sempre interessado em aprender, em ajudar a mãe nas suas tarefas, em fazer me feliz. Uma criança que só quer mesmo ver a mãe feliz... não mereço tamanho amor.  Mas o M. mereçe todo o amor, toda a dedicação.
Recuso-me a perder-lo .... e este é o meu desafio para o resto da vida: demonstrar ao M. o quanto é especial e importante para mim, o quanto o amo. 
Meta mensal: arranjar todos os dias tempo exclusivo para o M. (sem um olho na panela ou na tv ou no pc)
12
Mar13

Desafio Berra-me Baixo


Avó Madalena

....é mandar te por a mesa 500 vezes e acabar por fazer eu a tarefa... e descobrir que ficas chateado porque retirei "esse papel importante" de me ajudar nas tarefas domésticas... e assim de maneira tão fácil e silenciosa descubro que chato para ti é retirar te a responsabilidades das tuas tarefas.

10
Mar13

Desafio Berra-me Baixo


Avó Madalena

 

 

 

 Instruções http://mumstheboss.blogspot.pt/2013/02/instrucoes-berra-me-baixo.html

 

Ontem foi um exemplo de que deveria berrar baixo, deixei que as emoções recalcadas emergissem com um vulcão em erupção. Gritei, chorei, apeteceu-me partir a louça toda. A parte boa é que esta explosão não foi com o M, mas infelizmente ele foi testemunha...

Que legitimad teno eu para pedir ao meu filho para conversar calmamente ao invez de gritar depoiss eu faço uma macacada daqueles??

Vou tentar berra baixo sim, mas  ou alargar a minha rede. 

Vou esforçar me para ser um bom exemplo para o meu filho (ultimamente ele tem sido o meu mentor: é calma, sempre a ver o lado positivo, sempre sorridente). Eu não quero ser aquela mãe deprimente e deprimida que não ve nada além o seu umbigo e se esquece que o melhor da vida está ali ao lado, de sorriso na cara e sem te pedir nada em troca.

O desafio berra-me baixo tem de ser encarado por mim como auxiliador de felicidade, berrar baixo a mim mesmo (sou demasiado exigente comigo, grito imenso comigo mesma).

Berra-me baixo, aprende a dizer o que pretendes usando outras palavras e não alterando o tom de voz. Pensa como era quando eras criança, quando a minha mãe comecçava a gritar eu simplesmente deixava de a ouvir, envolvia-me na minha mente e simplesmente deixava de ouvir... depois ficava a magoa, a dor, o sentimeno que a culpa era minha, que a mãe não gstava de mim. Tenho de voltar as minhas memorias mais vezes e evitar cometar determinados erros.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D