Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Casa d'avó Madalena

Casa de uma matrafona que mora na Aldêa, passa o dia assentada no pial a dizer patochadas

Casa de uma matrafona que mora na Aldêa, passa o dia assentada no pial a dizer patochadas

Casa d'avó Madalena

20
Mai16

Ponha fim ao stress e aprenda a viver - 500 ideias para uma vida melhor


Avó Madalena

Engraçado quando dizem que um livro não deve ser avaliado pela capa! Não deve mesmo!!

DSCN7503.JPG

Tenho este livro da Suzannah Olivier há algum tempo (oferta de uma amiga) e nunca me suscitou curiosidade, talvez pela capa meio sonsa ou pelo titulo...  

A semana passada, num dos meus momentos "pausa para não fazer nada" estava este leituras agarrei este livro, desfolhei e li umas quantas páginas soltas e percebo que tem imensas respostas às minhas questões, indo de encontro ao que pretendo estudar e desenvolver na minha vida.

É um livro de dicas e ideias, que aborda temas como a casa (a autora chama de ninho), trabalho e dinheiro, saúde... muito interessante. Embora tenha a leitura focada na parte da casa, já percebi que as linhas de pensamento (e organização da autora vão de encontro ao que eu considero importante para mim). 

17
Ago15

O executor - Kepler


Avó Madalena

Esta semana a leitura cá de casa foi do livro "O executor" da dupla Kepler.

execut.jpg

 

Este é o 3º livro que leio dos autores, depois de me ter apaixonada perdidamente pela Vidente!.

Um livro (aliás autor(es) que aconselho vivamente a quem gosta de thillers apaixonantes, desafiantes e viciantes. Ler Kepler é deixar-me envolver pelas mística de cada história de ficar com falta de ar nas últimas páginas dos livros ou de cabelo no ar com as reviravoltas des personagens.

Impossível não gostar!

Sinopse: Uma mulher que aparece morta num barco, seguido de um suicídio do director-geral de Armamento e Infraestruturas de Defesa da Suécia. Aparentemente dois casos isolados, mas estarão mesmo?
Joona Lina sabe que na sua profissão não se pode deixar enganar pelas aparências e que um presumível suicídio não é razão suficiente para fechar o caso. 
Joona Lina mergulhará numa investigação que o conduzirá, através de uma vertiginosa sucessão de acontecimentos, a uma descoberta diabólica.

 Existem pactos que nem mesmo a morte pode quebrar...

07
Ago15

Arrume a sua casa Arrume a sua vida


Avó Madalena

transferir.jpg

A minha procura de novos métodos de organização não param. Tento melhorar e perceber que a confusão que vai na minha casa é reflexo da confusão que vai na minha cabeça.

Marie Kondo é especialista em arrumação com o seu "método mágico".

As dicas que apresenta chocam com a maioria das leituras que fiz até hoje. Para Marie deve ser feita uma arrumação profunda e não declutter de 1 peça de cada vez, além de desmotivador, demora imenso tempo (num ano só descartaríamos 365 artigos).

"Quando uma sala fica atufada, a causa é mais do que física. A confusão visível ajuda a distrair-nos da verdadeira fonte de desarrumação"

Esta frase quase mágica traduz o meu estado actual... com a depressão a casa virou um caos e a necessidade de acumular coisas também. Custa-me desfazer de roupas, livros, fotografias...mas vamos com calma que tudo se ultrapassará! Será o apego ao passado um reflexo do medo do futuro?

 Algumas ideias do livro: 

1 - Organizar por categorias e não por divisões da casa: consiste em agrupar as peças pelas categorias (roupas de cama, roupas de wc).

Por exemplo, eu tenho os meus lençóis no meu quarto e os do quarto do M, no quarto dele; as toalhas do wc de serviço estão no wc de serviço e as de banho estão na casa de banho grande - tenho portanto 2 espaços em casa com as mesmas coisas! Tudo junto mostra a dimensão exagerada da quantidade de toalhas e lençóis que possuo...

 

2 - Deitar fora antes de arrumar: se já separou algumas coisas deite fora: já - deitar fora de imediato impede que mudemos de ideias ou pior, que tenhamos de arrumar em algum lugar até podermos deitar fora (ou doar). Perceba o que pretende com a arrumação, qual o objectivo, o motivo que faz querer viver de outro modo, mais arrumado

Uma ajuda para descartar objectos é perceber se nos trazem alegria, se sim, podem ficar, se não.. qual a duvida? Fora!

 

3 - Atribua a cada coisa um lugar. Se as arrumar sempre no mesmo sitio todos saberão onde procurar e deixam de se espalhar pela casa como se fossem vírus. 

"O verdadeiro problema é quando temos mais do que precisamos ou queremos"

E eu tenho muito mais do que preciso em alguns itens: lençóis, toalhas, panos de cozinha (que merecem o lixo num saco preto e refundido), copos, canecas e toneladas de revistas que estava a guardar para um dia fazer uma feira de velharias (já passaram 3 anos e ainda não participei em  nenhuma)

 

"O segredo para manter um espaço organizado é procurar simplicidade máxima, de modo a poder perceber com um olhar rápido o que temos"

 E lá em casa temos uma gaveta cheia de carregadores de telemóveis, cabos que nem sei para que servem, DVD's que ninguém vê. tentei organizar os cabos em separadores o que na realidade deu uma visão linda e maravilhosa da minha gaveta, mas acontece que está cheia de carregadores de telemóveis que já não temos, de comandos universais que não serão usados. Está "visualmente organizado", mas atufado de tralha. (Acabei de me lembrar da minha "colecção" de relógios de bolso que andam soltos numa gaveta à espera que eu faça um quadro com eles....)

 

4 - Arrumar as coisas na vertical (desde roupas a livros). Experimentei no escritório, coloquei tudo o que dava na vertical e fiquei com as prateleiras mais livres de tal modo que quando entro parece que fomos assaltados. 

 

5 - Usar correctamente armários embutidos: parte de cima a roupa de outra estação e a  roupa de cama, no fundo as malas, mochilas.

 

6 - Apreciar as  coisas, estima-las, agradeçer a alegria que lhe dão, aprecie-as (eu tenho por hábito falar com a minha carrinha enquanto conduzo e agradeço não me deixar apeada, quando tem pouco gasóleo peço-lhe para chegar à bomba com jeitinho). Preciso muito dela e agradeço o esforço que a bichinha faz para subir ladeiras, mais, fico chateada quando ouço o marido dizer que ela anda pouco ou que está velha), também falo com as minhas plantas e faço questão que todas as orquídeas fiquem juntas à janela, porque sei que são bisbilhoteiras e são mais felizes à janela

"A organização do espaço é o ato sagrado de escolher uma casa para as coisas que possuímos"

 

 

7 - Uma casa organizada e apenas com artigos que gostamos fica mais arrumada: tem menos tralha para limpar, acumula menos pó, a sujidade vê-se mais facilmente logo limpamos mais e mais vezes. 

 

Um livro muito interessante, com ideias originais e bastante práticas que espero sinceramente colocar em prática.

Se a minha casa exemplifica a minha mente, então estou um caco mas tenho o poder de alterar isso mesmo

 

31
Jul15

Um erro inocente


Avó Madalena

553353_952685518104751_4524516773940020826_n.jpg

 Livro: Um erro inocente

Autora: Dorothy Koomson

Sinopse: Durante a adolescência, Poppy Carlisle e Serena Gorringe foram as únicas testemunhas de um trágico acontecimento. Entre aceso debate público, as duas  adolescentes viram-se a braços com os tribunais e foram apelidadas pela imprensa de "As Meninas do Gelado".
Anos mais tarde, tendo seguido percursos de vida muito diferentes, Poppy está decidida a trazer ao de cima a verdade sobre o que realmente sucedeu, enquanto Serena, esposa e mãe de dois filhos, não pretende que ninguém do presente desvende o seu passado. Mas é impossível enterrar alguns segredos - e se o seu for revelado, a vida de ambas voltará a transformar-se num inferno...

Opinião: Uma leitura muito interessante pelo como como as duas personagens vão desvendando a sua história ao longo do livro.

Uma história de amor, terror, culpa e medo. Um a história perturbada que nos leva a pensar se conhecemos mesmo aqueles que amamos e até que ponto estaremos dispostos a ir por amor e pela protecção dos que amamos.

Fiquei um pouco chocada com o final, com uma angustia no peito pela Poppy e uma raiva contida pelo seu sofrimento.

 

 

28
Jul15

Uma luz na escuridão (PDF)


Avó Madalena

transferir.jpg

Não me canso de ler romances, histórias e algodão doce que me fazer sorrir ao mesmo tempo que limpo a lágrima do canto do canto. Deve ser culpa do verão, do calor... estou numa fase romântica e glico doce

Continuo na saga da autora Catherine Anderson, desta vez com o livro "Uma luz na escuridão".

A sinopse é bastante atraente de 2 protagonistas que se encontram por acaso do destino:

Maggie, uma jovem de 24 anos que fugiu do padrasto com o único objectivo de  salvar a sua vida e a do seu bebé, das mãos de um padrasto e Rafe, que desde a trágica morte da mulher e dos filhos, se tornou num  vagabundo alcoólico.

Ao conhecer Maggie, Rafe pressente que vão envolver-se em problemas. E quando esta é  atacada por um grupo de vagabundos, Rafe, decide salvar a jovem mãe e o seu filho. Maggie está simultaneamente grata e preocupada com o seu novo protector. Na solidão, na fase mais sombria da sua vida, a compaixão de um desconhecido, muito atraente mas pobre como ela, surge como uma luz na escuridão e proporciona-lhe o conforto e o carinho que sempre desejou e nunca teve. Mas Rafe é mais do que aquilo que parece. É um homem enigmático e secreto, que poderia dar a Maggie o céu e a terra, não fora a circunstância de ter jurado a si próprio viver sozinho o resto da sua vida.Para sua surpresa, também Rafe descobre que pela primeira vez, desde há muito tempo, alguém necessita da sua ajuda e está determinado em não os desapontar. É que às vezes o amor surge sem aviso prévio e transforma o mundo mais frio e desapiedado num verdadeiro paraíso. 

Uma história apaixonante que me fez colar às teclas e querer ler sem para para perceber onde ia para esta história de amor. 

Este é o 3ª livro que leio da autora e o 2º no qual as protagonistas se casam para se "livrar" de algum problema... 

27
Jul15

Coração de Corda (PDF)


Avó Madalena

coração de corda.jpg

Cá por casa andamos numa de leituras em PDF, hoje tivemos o prazer de conhecer a escrita de Carina Portugal, num conta que nos apaixonou de imediato e que nos leva a procurar outros livros da autora.

 

Siponse: Philip Reeve é um artesão reconhecido e Angelique uma bailarina francesa que, no Teatro Dark Forest, o encantou a sua beleza e dança. Quando a procura nas bastidores assiste a uma cena que o deixa assuntado e quando a bailarina o visita na loja de brinquedos, Philip questiona-a e procurar saber o seu segredo.

 

Um conto muito bem escrito, que nos envolve desde a primeira página. 

Aconselho a sua leitura.

Podem ler gratuitamente aqui: https://www.smashwords.com/books/view/387230

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D